As 12 Rainhas

Durante os últimos dias o mundo – por que não? – acompanhou de perto a babação de ovo de 17 cidades brasileiras para a comitiva da FIFA/CBF/Ministério do Esporte, com o objetivo de serem escolhidas como cidades-sede do Mundial de Futebol de 2014. A cada cidade visitada, uma surpresa: um mimo, uma dança, enfim. Beirava o ridículo. São as 17 cidades que concorrem a 12 vagas de cidades-sede: Porto Alegre, Florianópolis, Curitiba; São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte; Cuiabá, Campo Grande, Goiânia, Brasília; Rio Branco, Manaus, Belém; Fortaleza, Natal, Recife e Salvador. O que será que é preciso para ser sede?

Mais que influência política e pujança econômica, claro. Se tivermos como base a Copa da Alemanha de 2006, Rostock e Dresden foram as únicas grandes cidades que ficaram de fora. Nos EUA durante o Mundial de 1994, lembro-me de Atlanta, Seattle e Denver, como grandes cidades que foram deixadas de lado (mesmo Atlanta sendo sede da Coca-Cola, principal patrocinador da FIFA).

Por enquanto o mundial do Brasil está muito incipiente, com projetos baseados em maquetes e em desenhos. Se pelo menos cerca de 60% daquilo que foi planejado e desenhado sair dos papéis, já vai ser uma vitória.

Complexo viário da Cidade do Cabo (www.development.co.za)

Faltam 5 anos para 2014. São apenas 5 anos. São 5 anos para o país investir em transportes, comunicações, turismo, segurança, educação, turismo e emprego. Muito será preciso ser feito para o país ter condições de receber o segundo maior evento do planeta. É aquilo mesmo dos 50 anos em 5 de JK. Pior ainda, talvez 100 anos em 5.

Pelo visto, vários estádios serão reformados. Discordo disso pelos gastos excessivos. É mais barato construir um novo do que reformar um antigo. Se querem saber como se constrói um estádio, que conheçam o trabalho feito por Portugal para a Euro’2004. Para potenciar o uso de um estádio, que saibam como este trabalho é conduzido nos EUA e no Canadá. Se o Brasil quiser potenciar a incorporação de um estádio dentro do espaço urbano, conjugado com os transportes e as comunicações, é preciso aprender com o Japão. Assim sendo, de que adianta um estádio com 40000 pessoas em uma cidade em que até o fuso horário atrapalha? Para que fazer sede a capital de um estado que não possui posição de destaque no cenário sócio-econômico nacional? 

Para uma cidade ser sede de um mundial é preciso levar em conta, em primeiro lugar, a sua acessibilidade. Depois levamos em consideração itens como importância econômica, indicadores sociais e potencial turístico. Em último lugar – mas não menos importante -, a importância dos clubes locais para o futebol nacional.

manaus

A cidade de Manaus, capital do Amazonas (manaus.am.gov.br)

Levando em linha de conta estas variáveis, vejamos as três capitais do Norte que concorrem: Rio Branco, Manaus e Belém. Manaus supera as outras duas, apesar de não ter contado recentemente com clubes na primeira divisão nacional. Com relação às capitais do Centro-Oeste (Goiânia, Brasília, Cuiabá e Campo Grande), provavelmente serão duas as escolhidas, que serão Brasília (pelo fato de ser a Capital Federal) e Campo Grande (mais fácil acesso, porta de entrada do Pantanal e fronteira com 2 países, potenciando o turismo).

No Nordeste a concorrência é forte. Fortaleza, Recife e Salvador são as capitais dos 3 principais estados daquela região. Natal, portanto, está em desvantagem. No sul e no sudeste, todas as cidades postulantes estão adequadas principalmente às variáveis de acessibilidade e palmarés desportivo e, portanto, serão certamente escolhidas.

Projeto do estádio do Mineirão para a Copa de 2014 (ademg.mg.gov.br)

Com isso, na opinião deste blogueiro, analisadas e levadas em consideração todas as variáveis, as 12 rainhas escolhidas para 2014 serão: São Paulo (onde provavelmente será o jogo de abertura), Rio de Janeiro (onde será a final*), Belo Horizonte, Porto Alegre, Florianópolis, Curitiba, Salvador, Recife, Fortaleza, Manaus, Campo Grande e Brasília.

Será interessante saber como será o processo de escolha. Que os membros da comitiva saibam realmente escolher as cidades-sede e que as escolhidas façam o melhor. Porque um evento como a Copa do Mundo pode mudar um país.

* – item que será tema para outros textos

0 Responses to “As 12 Rainhas”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s




Virgilio’s Tweets

Esses Dias na História

14 de Agosto

1974 – Nasce Ryan Gracie, grande responsável pela expansão dos negócios da família com academias de Jiu-Jitsu Brasileiro.

15 de Agosto

1823 – Adesão da Província do Grão-Pará ao Império do Brasil.

16 de Agosto

1992 – O inglês Nigel Mansell torna-se campeão mundial de pilotos de Fórmula 1

17 de Agosto

1979 – Fundada a Associação Nacional de Jornais do Brasil, com o objetivo de defender a liberdade de imprensa

18 de Agosto

1964 – A África do Sul é banida dos Jogos Olímpicos pelo COI por não renunciar ao regime de apartheid (política de segregação racial)

19 de Agosto

1981 – Entra no ar o Sistema Brasileiro de Televisão (SBT).

20 de Agosto

2016 – O Brasil conquista a medalha de ouro no futebol masculino dos Jogos Olímpicos.

21 de Agosto

1991 – Tentativa de golpe na URSS: a junta é dissolvida e Mikhail Gorbachev recupera o poder. O parlamento da Letônia proclama sua independência da URSS.

22 de Agosto

1910 – Anexação da Coreia pelo Japão, o que quase extinguiu a cultura coreana.

23 de Agosto

1987 – O Brasil conquista a medalha de ouro no basquetebol masculino nos Jogos Pan-Americanos.

Blog Stats

  • 144,522 hits

#CulturaDeRugby


%d blogueiros gostam disto: