A África do Sul, o Rugby e o Apartheid*

* – política de segregação racial conduzida pela África do Sul entre 1948 e 1990 

O ano de 1948 marca a história da África do Sul pela implementação do Apartheid (vida separada, em africânder), regime em que os brancos detinham o poder político e econômico, em detrimento dos demais povos, que, além de terem que viver separadamente, sequer possuíam seus direitos de cidadão assegurados. Durante quase todo o século XX a sociedade sul-africana ficou marcada pela segregação racial. Os negros não podiam freqüentar as praias, os bairros, as escolas e as universidades dos brancos, as melhores. Não podiam andar nos mesmos ônibus e vagões de trem que os europeus, também melhores. Não podiam ocupar altas patentes das forças armadas, destinadas aos brancos. Oficialmente, eram proibidos de pertencer às seleções nacionais de alguma modalidade esportiva.

Estação de trens apenas para negros em Pretória, África do Sul, durante o Apartheid  

Por conta disso a África do Sul foi banida completamente da FIFA por João Havelange, em 1974. Também foi pelo COI (Comitê Olímpico Internacional). As modalidades mais praticadas naquele país africano eram (e são): o Rugby, o críquete, o futebol e o boxe. O Rugby sempre foi associado à dominação branca – racista e repressora -, uma vez que era praticado pela elite. Isso não quer dizer que os negros não jogavam, mas eram organizados em ligas restritas. O futebol, praticado em sua maior parte pelos negros, esteve sempre em segundo plano e era pouco incentivado pelo governo. No final da década de 1960 a África do Sul propôs à FIFA a possibilidade de disputarem as eliminatórias da Copa de 70 com duas seleções: uma apenas de negros e outra só com brancos. Pedido negado. O mundo do futebol estava ao lado da maioria dos sul-africanos, ao contrário da International Rugby Board (IRB), que manteve os Springboks[1] em suas fileiras durante a política de segregação interna, porém proibidos de disputarem torneios internacionais. Mesmo assim, o Rugby foi a referência esportiva do Apartheid. 

Na época primeiro-ministro, Frederik de Klerk, pressionado pela opinião pública internacional, pôs fim a esse regime em 1990. Nelson Mandela, negro, líder do Congresso Nacional Africano, é solto após quase três décadas preso. Reformas políticas e sociais e econômicas são levadas a cabo com a finalidade de manter a África do Sul indivisível. Por muitas vezes, províncias como a do Cabo, a de Orange, a do Transvaal e os Bantustões chegaram perto de proclamarem a independência. Em abril de 1994 realizam-se as primeiras eleições livres e multirraciais, com a vitória de Mandela. 

O ano seguinte marcaria a vida do esporte na África do Sul. Pela primeira vez o país era aceito em uma competição internacional, a Copa do Mundo de Rugby, que seria disputada em sua própria casa. Antes divididos, os sul-africanos agora torciam com um objetivo em comum, porém com desconfiança: além de ninguém se esquecer de que os Springboks recordavam o Apartheid, a seleção consistia apenas por brancos. Tal situação mudou quando o negro Chester Williams foi convocado às pressas para substituir um companheiro lesionado, sendo de fundamental importância para a conquista da Copa, contra a Nova Zelândia. A vitória foi um marco para a história da República da África do Sul e o Rugby era responsável por isso. Pela primeira vez o país era legitimamente representado em nível internacional por uma seleção multirracial. A união dos sul-africanos e a euforia em torno deste objetivo em comum (a vitória na Copa) ficaram demonstradas nas palavras do então capitão da seleção, François Pienaar, ao receber o troféu das mãos de Nelson Mandela: “Hoje não são apenas os 60 mil aqui do estádio a comemorar o título, mas sim os 43 milhões de sul-africanos!”.

Pienaar recebe de Mandela a taça da Copa do Mundo de Rugby’95  

Anos mais tarde, já ex-presidente, Nelson Mandela disse que a África do Sul não seria a mesma caso os Springboks não tivessem vencido o mundial de 1995. Para quem fala que o esporte é apenas jogo, considere a autoridade de quem disse isso. Já dizia Nélson Rodrigues: “O pior cego é aquele que só vê a bola”.


[1] Como é conhecida a seleção sul-africana de Rugby

14 Responses to “A África do Sul, o Rugby e o Apartheid*”


  1. 1 vania 18/10/2008 às 1:52 am

    acho que o apartheid ainda é muito presente nos nossos dias ,mas com uma nova roupagem,e vergonhoso como seres da mesma materia se julgam melhores do que outros….

  2. 3 marcus alexandre mammana 28/07/2009 às 2:29 am

    guardar

  3. 4 João Carlos Carvalho 09/02/2010 às 12:52 pm

    Parabéns companheiro, artigo sensacional e muito esclarecedor, tanto no contexto histórico como no que diz respeito à importância do esporte para um país.

  4. 6 gugu e samukael 11/06/2010 às 5:34 pm

    Muuuito shooow Brod veelho tenhoo pena dos neego
    Ingleses idiotaas

  5. 7 helio burzaca 22/04/2011 às 12:46 am

    Assistam ao filme Invictus de 2009 com Morgan Freman e Matt Demon, conta toda a hitoria do campeonato mundial de rugby de 1995 na africa do sul, e muito bom.

  6. 8 Elizabete A.Oliveira 03/06/2011 às 2:43 am

    Assisti ao filme Invictus, o qual despertou minha curiosidade sobre todo o contexto e como o esporte passa a assumir uma condição definitiva como agregador de indivíduos antes tão hostis entre si. O texto é muito esclarecedor. Parabéns por conseguir ser conciso sem perder a profundidade.

  7. 9 Bruna Torres 11/11/2011 às 9:07 pm

    Pra mim aquele titulo de rugby da Africa do Sul foi mas que merecido, ainda mais depois de Nelson Mandela ser preso voltando e sendo presidente aquele titulo foi pra a africa perceber que cair e levantar são os exercicios fundamental da vida.

  8. 11 Lacy 18/07/2013 às 4:46 pm

    Assisti o filme Amistad e pensei;. não sei se choro ou dou risada, porem quando busquei na história,pensei: Não sei se tenho vergonha ou medo de ser gente.


  1. 1 Invictus | Paliativos Trackback em 30/09/2013 às 3:26 am
  2. 2 A difícil arte de tornar um país dividido uma só Nação | TIJOLAÇO | “A política, sem polêmica, é a arma das elites.” Trackback em 07/12/2013 às 6:54 pm
  3. 3 site desconto Trackback em 23/07/2014 às 5:59 pm

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s




Virgilio’s Tweets

Esses Dias na História

14 de Agosto

1974 – Nasce Ryan Gracie, grande responsável pela expansão dos negócios da família com academias de Jiu-Jitsu Brasileiro.

15 de Agosto

1823 – Adesão da Província do Grão-Pará ao Império do Brasil.

16 de Agosto

1992 – O inglês Nigel Mansell torna-se campeão mundial de pilotos de Fórmula 1

17 de Agosto

1979 – Fundada a Associação Nacional de Jornais do Brasil, com o objetivo de defender a liberdade de imprensa

18 de Agosto

1964 – A África do Sul é banida dos Jogos Olímpicos pelo COI por não renunciar ao regime de apartheid (política de segregação racial)

19 de Agosto

1981 – Entra no ar o Sistema Brasileiro de Televisão (SBT).

20 de Agosto

2016 – O Brasil conquista a medalha de ouro no futebol masculino dos Jogos Olímpicos.

21 de Agosto

1991 – Tentativa de golpe na URSS: a junta é dissolvida e Mikhail Gorbachev recupera o poder. O parlamento da Letônia proclama sua independência da URSS.

22 de Agosto

1910 – Anexação da Coreia pelo Japão, o que quase extinguiu a cultura coreana.

23 de Agosto

1987 – O Brasil conquista a medalha de ouro no basquetebol masculino nos Jogos Pan-Americanos.

Blog Stats

  • 144,520 hits

#CulturaDeRugby


%d blogueiros gostam disto: