A Nacionalizar

Muitos foram pegos de surpresa nesta semana com a nacionalização da Repsol/YPF pela Presidente da Argentina, Cristina Fernández de Kirchner (CFK). Outrora estatal, a Yacimientos Petroliferos Federales (YPF) fora comprada pela empresa espanhola durante o programa de privatizações levado a cabo pelo antigo Presidente Carlos Menem, durante a década de 1990. Do dia para a noite, a principal empresa de petróleo argentina volta a ser do Estado, sem aviso prévio, sem esclarecimentos, como se fosse um turvo golpe para a tomada de poder. A credibilidade, fundamental para a atração de investimentos externos, fica abalada. Assim sendo, menos recursos entram no País. Menos recursos, menos empregos em longo prazo.

Política populista, sem dúvida alguma. A cada obra o nome da Presidente é exaltado. A disputa – diplomática – das Ilhas Malvinas é outra iniciativa para exaltar o seu governo. O controle da imprensa, é para tentar mantê-la no poder. A estatização da Aerolineas Argentinas é outro grande exemplo.

Fora o populismo, qual seria a vantagem de tudo isso? Controle da tecnologia. Com estas empresas em mãos do Estado, tem o País agora o controle sobre não apenas a exploração de petróleo, mas também sobre a tecnologia em extraí-lo, refiná-lo e distribuí-lo. Dessa forma, pode a Argentina iniciar uma política de auto-suficiência em petróleo, ao formar profissionais especializados capazes de compartilhar o conhecimento através do ensino e da pesquisa. Por isso entende-se inovação. De igual maneira é ter controle da Aerolineas Argentinas, conhecer a frota aérea para o desenvolvimento de uma própria ou então ter a autonomia em criar novos corredores aéreos para o desenvolvimento de políticas para o turismo naquele país.

Como o esporte envolve as massas, e massa significa voto, o esporte, sobretudo o futebol, também entra nessa jogada. O futebol local agora é transmitido pela TV pública para toda a Argentina. Antes, era pela TV por assinatura. Por muito pouco o governo Kirchner não patrocinou um piloto local para fazer parte da Fórmula 1, uma das grandes paixões daquele país, desde os tempos de Fangio e Reutemann. Neste caso, não é domínio de uma tecnologia específica, mas o controle da tecnologia do voto, através do populismo.

Não é papel deste texto julgar as políticas do governo Kirchner, na Argentina. É sim mostrar que o esporte não escapa das estatizações. Próximo passo talvez possa ser o de nacionalizar Messi. Trazê-lo de volta pro Newell’s.

Não duvido nada.

 

0 Responses to “A Nacionalizar”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s




Esses Dias na História

27 de Maio

1703 – O Czar Pedro, o “Grande”, funda a cidade de São Petersburgo

28 de Maio

1993 – Eritreia e Mônaco se tornam membros da Organização das Nações Unidas

29 de Maio

1985 – Tragédia de “Heysel” (estádio em Bruxelas/BEL) em que mais de 30 torcedores da Juventus morrem antes do jogo final da Copa dos Campeões da Europa (atual Liga dos Campeões da UEFA)

30 de Maio

1961 – Rafael Leônidas Trujillo, ditador da República Dominicana, é assassinado em Santo Domingo (na altura chamada de “Ciudad Trujillo”)

31 de Maio

1910 – Criação da União Sul-Africana (atual África do Sul)

1961 – A União Sul-Africana sai da Comunidade Britânica (Commonwealth) e se torna “República da África do Sul”

1º de Junho

1967 – Os Beatles lançam o álbum “Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band”, um dos mais aclamados álbuns da história do rock e número 1 de todos os tempos segundo a revista Rolling Stone

2 de Junho

1917 – O Brasil revoga sua neutralidade na Primeira Guerra Mundial e aborda barcos alemães

3 de Junho

1822 – Dom Pedro recusa fidelidade à Constituição portuguesa e convoca a primeira Assembleia Constituinte brasileira

4 de Junho

1970 – Independência de Tonga

5 de Junho

2003 – Dissolução da República Federal da Iugoslávia

6 de Junho

1944 – Segunda Guerra Mundial: Desembarque na Normandia de 155.000 soldados das tropas aliadas (“Dia D”)

7 de Junho

1494 – Portugal e a Espanha assinam o Tratado de Tordesilhas

8 de Junho

1990 – Começa o XIV Campeonato Mundial de Futebol na Itália com o jogo de abertura Camarões 1 x 0 Argentina

9 de Junho

1934 – Estreia do “Pato Donald” em The Wise Little Hen

10 de Junho

1539 – Hernando de Soto desembarca na baía do Espírito Santo (atual Sarasota, FL), nos Estados Unidos, com 600 homens

1770 – O governador de Buenos Aires, Bucarell, ordena que os ocupantes britânicos das ilhas Malvinas desocupem a zona

1776 – O Congresso de Filadélfia aprova a Declaração de Independência dos estados da união, nos Estados Unidos.

1829 – O governador das Províncias Unidas do Rio da Prata cria o Comando Político e Militar das Ilhas Malvinas

11 de Junho

***DATA MAGNA DA MARINHA DO BRASIL***

1865 – Vitória brasileira na Batalha Naval do Riachuelo, da Guerra do Paraguai

12 de Junho

1921 – Fundação do Figueirense Futebol Clube

13 de Junho

1808 – Criado o Jardim Botânico do Rio de Janeiro

14 de Junho

1900 – Havaí se torna parte do Estados Unidos

1982 – Fim da Guerra das Malvinas

15 de Junho

1891 – Já em tempos de República, é oficializada a Província de Minas Gerais como unidade da Federação

Mundo Virga

Houve um erro ao recuperar imagens do Instagram. Uma tentativa será refeita em poucos minutos.

Blog Stats

  • 142,841 hits

Virgilio’s Tweets

#CulturaDeRugby


%d blogueiros gostam disto: