A questão Catalã e o lema de um clube

O lema do clube de futebol Barcelona é “Més que un club” (“Mais que um clube”, traduzido). Isso remete à histórica causa de autonomia e independência catalã em relação à monarquia da Espanha, com sede em Madri. Há algumas décadas, o nome oficial do clube era em espanhol (“Club de Fútbol Barcelona”). Outrora o uso do catalão bastante reprimido, apenas após o fim do governo Franco (1936-1975) a instituição passou a fazer sua comunicação neste idioma, tendo inclusive mudado seu nome oficial para “Fútbol Club Barcelona”.

Haja vista toda uma causa política e por toda uma história – ao mesmo tempo global – desde as origens de seu fundador suíço, a passar pela genialidade de Cruijff, Romário, Stoichkov e Messi; das equipes de basquete e handebol, do trabalho social que fazem na Catalunha e no mundo, “mais que um clube” simboliza bastante o que é o FC Barcelona. Dentro dessa linha de pensamento, não surpreende saber que Neymar – quando futebolista do clube – tinha que aprender o catalão.

Quando dos confrontos contra as equipes de Madrid (Real e Atlético), o “mais que um clube” alcança ainda maior projeção porque a rivalidade atinge níveis extremos. Uma vitória em campo simbolicamente representa a vitória da Catalunha sobre a Espanha, da República sobre a Monarquia, da independência sobre o centralismo. É a aplicação do papel de ser “mais que um clube”, que é o que quer representar – e consegue – o FC Barcelona. É uma identidade.

gettyimages-856248246_nwEcwyr

FC Barcelona entrou em campo em 1º de Outubro (dia do referendo catalão) com uma camiseta que remonta à bandeira da Catalunha. Foto: Getty Images

Agora, em um cenário que a Catalunha sim, consegue a independência: não teremos mais o duelo Madri x Barcelona, o antagonismo tão forte que gera e vende milhões mundo afora em que dois dos pilares são o centralismo da capital da Espanha e a causa dos catalães. Perde a liga espanhola de futebol, mas também perde o Barcelona. Continuará sendo “mais que um clube”, sem dúvida. Entretanto, qual o propósito disso a partir de então, uma vez que o principal fator motivador (autonomia e independência catalã) foi conquistado? Para quem eles seriam mais que um clube? O Barcelona jogaria uma liga local fraca, os resultados seriam previsíveis, a assistência média de público iria cair na mesma proporção que a projeção o seu futebol pelo planeta. Por consequência, os patrocinadores. Resultado: menores investimentos financeiros.

Há quem diga que agora é preciso redefinir o branding do clube!

Ora, dentro da Sociologia há uma corrente que diz que você só existe porque existe o outro, o rival, o antagonista. Se isso acaba, a motivação para seguir a “marcha” é afetada. Não sou espanhol e tampouco catalão para falar de uma região a que não pertenço. É a análise de uma questão – delicada – dentro do universo do meu trabalho. A causa catalã e a manutenção da soberania espanhola são muito mais que futebol, são muito mais que clubes.

Em tempo: por ironia, na rodada de 1º de Outubro do futebol espanhol, o Real Madrid (clube que mais representa a Monarquia e centralismo de Madri) jogou contra o RCD Espanyol, o outro clube de Barcelona que simbolicamente representa a Monarquia espanhola na Catalunha.

jurado-casemiro-real-madrid-espanyol-laliga_m924x8v39jpd1s0ok9a7rnz60

 

0 Responses to “A questão Catalã e o lema de um clube”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s




Virgilio’s Tweets

Esses Dias na História

20 de Janeiro

1567 – Os Povos Originários da região mais as tropas de Estácio de Sá expulsam os franceses e estabelecem o povoado do Rio de Janeiro, em um dia de São Sebastião. Por isso o nome completo da atual capital do estado do Rio de Janeiro é São Sebastião do Rio de Janeiro

21 de Janeiro

1911 – Ocorre o primeiro “Rali de Monte Carlo”

22 de Janeiro

1532 – Fundação da vila de São Vicente, no litoral de São Paulo, a mais antiga do Brasil

23 de Janeiro

1900 – Guerra dos Bôeres: termina a batalha de Spion Kop entre as forças do Reino Unido contra as da República da África do Sul e do Estado Livre de Orange, com derrota dos britânicos. É em referência a esta batalha que parte do estádio do Liverpool FC (Anfield Road) é conhecida como a “Kop”

24 de Janeiro

1984 – A Apple lança o Macintosh

25 de Janeiro

1554 – Fundação de São Paulo de Piratininga, capital do estado de São Paulo

1576 – Fundação de São Paulo da Assunção de Luanda, capital da República de Angola

26 de Janeiro

1788 –  Uma primeira frota britânica, liderada por Arthur Phillip, atraca em Porto Jackson (baía de Sydney) e estabelece o povoado de Sydney, o primeiro assentamento europeu na Austrália. Como lembrança, é neste dia celebrado o “Dia da Austrália”

1841 – Hong Kong torna-se parte do Reino Unido

27 de Janeiro

1973 – Acordos de Paz de Paris terminam oficialmente a Guerra do Vietnã

28 de Janeiro

1986 – Missão STS-51-L: o ônibus espacial Challenger explode 73 segundos após a decolagem, matando os sete astronautas a bordo

29 de Janeiro

1886 – Karl Benz patenteia o primeiro automóvel bem sucedido à gasolina

30 de Janeiro

1972 – Domingo Sangrento (o da música dos “U2”): paraquedistas britânicos abrem fogo contra manifestantes católicos em Derry, Irlanda do Norte, matando 14 pessoas

31 de Janeiro

1961 – Programa Mercury: Mercury-Redstone 2: Ham, o chimpanzé viaja pelo espaço sideral

1º de Fevereiro

1908 – Regicídio de Lisboa: o rei Carlos I de Portugal e o infante Luís Filipe são mortos a tiros em Lisboa

Blog Stats

  • 146.183 hits

#CulturaDeRugby


%d blogueiros gostam disto: