Contra-Ataque

Beckenbauer. Platini. Leonardo. Hortência. Marcus Vinicius Freire. Nuzman. Em comum, todos eles são gestores esportivos. Todos possuem um compromisso com a organização esportiva que representam, todos possuem uma formação e, ex-atletas ou não, são os que mais trabalham e menos saltam aos olhos da imprensa quando o assunto é a política do esporte. Claro. O negócio deles é o esporte, é trabalho. Não é política.

Quando falamos da política no esporte, lembramo-nos de, por exemplo, Romário, cujo mandato se baseia no ataque a Ricardo Teixeira, que recentemente renunciou à presidência da CBF. Para chamar a atenção, nada melhor do que bater de frente com uma pessoa com alto índice de rejeição. No entanto, projetos para o esporte, de autoria do Deputado Romário, não chegam ao grande público.

Ronaldo, o ‘Fenômeno’, declarou sobre a possibilidade de presidir a CBF. Muitos poderão achar que ele resolverá os problemas do futebol brasileiro. Alguns outros desejam que um ex-atleta deva ser o Ministro dos Esportes. Ora, se estes cargos são apenas figurativos, nenhum problema. Entretanto, são postos executivos, necessitam formação e dedicação integral de seus ocupantes. Se estiverem preparados para desempenhar tais funções, será ótimo. Caso contrário, a falta de iniciativa, método e execução, comuns no esporte brasileiro, continuarão como sempre foram.

A reação de conhecidos ex-atletas como Ronaldo ‘Fenômeno’, Romário, dentre outros, pode ser considerado um ataque da classe à lacuna deixada com a renúncia de Ricardo Teixeira, que culmina agora com o grave estado de saúde de seu ex-sogro, João Havelange.

Por outro lado é uma chance para o gestor esportivo em mostrar que uma estrutura profissional, com base nos resultados financeiros e esportivos (não apenas esportivos) são o caminho para o sucesso do esporte no Brasil dentro e fora de campo. A cada dia surgem mais exemplos que evidenciam isso: o rúgbi brasileiro, o Red Bull Brasil, os Audax (SP e RJ), o judô e o vôlei nacionais. Há a chance de o gestor esportivo desenvolver um contra-ataque em benefício exclusivo de quem faz o espetáculo (atleta) e  de quem o consome (torcedor).

0 Responses to “Contra-Ataque”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s




Virgilio’s Tweets

Esses Dias na História

20 de Novembro

1994 – O governo de Angola (MPLA) e os rebeldes (UNITA) assinam o protocolo de Lusaka, no Zâmbia, e colocam fim a 19 anos de Guerra Civil

21 de Novembro

1902 – O Philadelphia Football Athletics derrota o Kanaweola Athletic Club de Elmira/NY por 39 a 0, no primeiro jogo profissional do Futebol Americano jogado à noite

22 de Novembro

1975 – Juan Carlos é declarado Rei da Espanha, após a morte do Gral. Franco

23 de Novembro

1971 – A República Popular da China ganha a vaga da República da China no Conselho de Segurança da ONU

24 de Novembro

1973 – É imposto limite de velocidade nas “AutoBahns” alemãs em função da crise do petróleo. Esta imposição dura apenas 4 meses.

25 de Novembro

1966 – Primeiro link de TV entre o Reino Unido e a Austrália

26 de Novembro

1917 – Formação da National Hockey League/Liga Nacional de Hóquei (NHL) com as seguintes equipes (todas canadenses): Montréal Canadiens, Montréal Wanderers, Ottawa Senators, Québec Bulldogs e Toronto Arenas

27 de Novembro

***Dia de São Virgílio***

1971 – O programa espacial soviético comemora a chegada do módulo “Mars 2”, o primeiro objeto produzido pelo homem a atingir a superfície do planeta Marte

Blog Stats

  • 145.752 hits

#CulturaDeRugby


%d blogueiros gostam disto: