Contra-Ataque

Beckenbauer. Platini. Leonardo. Hortência. Marcus Vinicius Freire. Nuzman. Em comum, todos eles são gestores esportivos. Todos possuem um compromisso com a organização esportiva que representam, todos possuem uma formação e, ex-atletas ou não, são os que mais trabalham e menos saltam aos olhos da imprensa quando o assunto é a política do esporte. Claro. O negócio deles é o esporte, é trabalho. Não é política.

Quando falamos da política no esporte, lembramo-nos de, por exemplo, Romário, cujo mandato se baseia no ataque a Ricardo Teixeira, que recentemente renunciou à presidência da CBF. Para chamar a atenção, nada melhor do que bater de frente com uma pessoa com alto índice de rejeição. No entanto, projetos para o esporte, de autoria do Deputado Romário, não chegam ao grande público.

Ronaldo, o ‘Fenômeno’, declarou sobre a possibilidade de presidir a CBF. Muitos poderão achar que ele resolverá os problemas do futebol brasileiro. Alguns outros desejam que um ex-atleta deva ser o Ministro dos Esportes. Ora, se estes cargos são apenas figurativos, nenhum problema. Entretanto, são postos executivos, necessitam formação e dedicação integral de seus ocupantes. Se estiverem preparados para desempenhar tais funções, será ótimo. Caso contrário, a falta de iniciativa, método e execução, comuns no esporte brasileiro, continuarão como sempre foram.

A reação de conhecidos ex-atletas como Ronaldo ‘Fenômeno’, Romário, dentre outros, pode ser considerado um ataque da classe à lacuna deixada com a renúncia de Ricardo Teixeira, que culmina agora com o grave estado de saúde de seu ex-sogro, João Havelange.

Por outro lado é uma chance para o gestor esportivo em mostrar que uma estrutura profissional, com base nos resultados financeiros e esportivos (não apenas esportivos) são o caminho para o sucesso do esporte no Brasil dentro e fora de campo. A cada dia surgem mais exemplos que evidenciam isso: o rúgbi brasileiro, o Red Bull Brasil, os Audax (SP e RJ), o judô e o vôlei nacionais. Há a chance de o gestor esportivo desenvolver um contra-ataque em benefício exclusivo de quem faz o espetáculo (atleta) e  de quem o consome (torcedor).

0 Responses to “Contra-Ataque”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s




Virgilio’s Tweets

Esses Dias na História

14 de Agosto

1974 – Nasce Ryan Gracie, grande responsável pela expansão dos negócios da família com academias de Jiu-Jitsu Brasileiro.

15 de Agosto

1823 – Adesão da Província do Grão-Pará ao Império do Brasil.

16 de Agosto

1992 – O inglês Nigel Mansell torna-se campeão mundial de pilotos de Fórmula 1

17 de Agosto

1979 – Fundada a Associação Nacional de Jornais do Brasil, com o objetivo de defender a liberdade de imprensa

18 de Agosto

1964 – A África do Sul é banida dos Jogos Olímpicos pelo COI por não renunciar ao regime de apartheid (política de segregação racial)

19 de Agosto

1981 – Entra no ar o Sistema Brasileiro de Televisão (SBT).

20 de Agosto

2016 – O Brasil conquista a medalha de ouro no futebol masculino dos Jogos Olímpicos.

21 de Agosto

1991 – Tentativa de golpe na URSS: a junta é dissolvida e Mikhail Gorbachev recupera o poder. O parlamento da Letônia proclama sua independência da URSS.

22 de Agosto

1910 – Anexação da Coreia pelo Japão, o que quase extinguiu a cultura coreana.

23 de Agosto

1987 – O Brasil conquista a medalha de ouro no basquetebol masculino nos Jogos Pan-Americanos.

Blog Stats

  • 144.581 hits

#CulturaDeRugby


%d blogueiros gostam disto: