Conquistadores da América

O ano foi repleto de grandes acontecimentos no futebol. Entretanto a novela da final da “Taça Libertadores da América” pessoalmente deixa-me triste. Alguns sabem da relação pessoal que tive com a taça ao transportá-la para Assunção, em um roteiro cinematográfico. Fico macambúzio por conta dos casos de violência, pelas indecisões, pela falta de profissionalismo, pelo desserviço e falta de zelo em relação ao futebol da América do Sul.

É pública a forte influência de alguns clubes e federações na Confederação Sul-Americana de Futebol, em detrimento de outros. É escancarado na história o benefício que alguns tiveram nas competições continentais. Um “prende e manda soltar” característicos de um sistema corruptor e corruptível.

A gestão do futebol na América do Sul é reflexo da sociedade local, salvo exceções. Raras exceções.

As corriqueiras cenas de policiais com escudos a protegerem os futebolistas que batem o escanteio, dos estádios que caem aos pedaços, dos atrasos em função de quedas de energia e os inchaços das competições para satisfazer elites políticas só servem para justamente ficarem no passado. Um dia, lá atrás, isso fez parte. Os europeus devem ter aprendido com Heysel, Hillsborough e Valley Parade. O futebol de alta competição atual não aceita estas situações mencionadas no início deste parágrafo. Isso não é romântico e não dá nenhum glamour ao torneio. Dá, na verdade, vergonha.

Ademais, decide-se que a grande final do principal torneio de futebol de clubes da América do Sul será fora daqui. Será na capital da Espanha, Madri. Cidade que por séculos foi sede do domínio espanhol nesta parte do mundo. Das inesgotáveis mágoas e rancores que o Sul da América, os povos nativos e adotivos, muitos deles, têm pela Península Ibérica.

Quem conquistaria a América, afinal? Os campeões ou a cidade apontada para receber o segundo jogo da final? Sinceramente, fico sem saber. A novela é longa e os seus capítulos diários desenham um enredo cujo vencedor não vai ser o protagonista.

river

Torcedores do River Plate (ARG) no Monumental, estádio onde devia ter sido disputado o segundo jogo da final da Taça Libertadores da América (Foto: Metro Jornal)

A protagonista da decisão será esta indecisão arrastada por dias! O resultado é que todos os sul-americanos perdemos.

Sem quaisquer coitadismos ou terceiro-mundismos, é incoerente, doloroso e dolorido golpe para os sul-americanos a decisão da Taça Libertadores América ser jogada fora daqui. Independente de ser em Madri, Miami ou em Doha.

Ao mesmo tempo é um prêmio. É um prêmio a tudo aquilo que não conseguimos ser.

Com tudo isso, não sei se aprenderemos com os acontecimentos. A ânsia pelo poder, a ganância e o dinheiro não podem valer mais que o ser humano, que um campeonato melhor organizado, com garantias aos atletas e aos torcedores.

É preciso voltar-se para o mercado, atender as demandas do público, em vez de atender as demandas vindas da forte influência de alguns clubes e federações dentro da Confederação Sul-Americana de futebol.

Em tempo: enquanto escrevia esta crônica, tive acesso a uma notícia que dizia o CA River Plate recusar-se a jogar a final da “Taça Libertadores da América” em Madri. No mínimo ridículo. Gesto de criança mimada. Joguem e resolvam isso logo.

Em tempo 2: esta novela condena a candidatura sul-americana para a Copa do Mundo de Futebol de 2030.

0 Responses to “Conquistadores da América”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s




Mundo Virga

Virgilio’s Tweets

Esses Dias na História

17 de Dezembro

1819 – Simón Bolívar declara a independência da República da Grã-Colômbia em Angostura (hoje Ciudad Bolívar na Venezuela)

18 de Dezembro

1932 – Os Ursos de Chicago (Chicago Bears) vencem os Espartanos de Portsmouth (Portsmouth Spartans) no primeiro jogo da história da NFL

19 de Dezembro

1983 – Roubo da Taça Jules Rimet, da sede da CBF à Rua da Alfândega, no Rio de Janeiro

20 de Dezembro

1999 – Portugal transfere a soberania de Macau para a República Popular da China

21 de Dezembro

1995 – Israel transfere a soberania da cidade de Belém para a Autoridade Palestina

22 de Dezembro

1989 – O então Presidente da Romênia, Nicolae Ceaușescu, é deposto por Ion Iliescu após dias de sangrentos distúrbios pelo país. O dirigente deposto e sua esposa fogem de helicóptero, que sobrevoa uma Bucareste em ruínas

23 de Dezembro

1990 – Em referendo, 88,5% dos eslovenos optam pela independência em relação à Iugoslávia

24 de Dezembro

1906 – Reginald Fessenden faz a primeira transmissão regular de rádio ao ler um poema, fazer um solo de violino e, finalmente, um breve discurso

25 de Dezembro

1991 – Referendo na Ucrânia decide pela sua independência em relação à URSS

1991 – Em Moscou, o Presidente da antiga URSS Mikhail Gorbachev renuncia e a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas se dissolve

26 de Dezembro

1963 – Os “Beatles” lançam “I Want to Hold Your Hand” e “I Saw Her Standing There” nos EUA, o marco do início da ‘Beatlemania’ em nível internacional

Blog Stats

  • 146.018 hits

#CulturaDeRugby


%d blogueiros gostam disto: