Archive for the 'Estilo de vida' Category



Museosportabilidade

Experiência. É o que um museu transmite aos frequentadores. Experiência de adentrar na história e reviver épocas. Um museu esportivo além disso, resgata os valores e a identidade de uma instituição e como ela foi sendo construída ao longo do tempo, a fim de cativar e fidelizar seguidores e simpatizantes.

O museu do FC Barcelona é o mais visitado daquela cidade, assim como o do futebol, em São Paulo. O memorial do Santos FC também. Os da União de Rugby da Nova Zelândia (NZRU), do Estádio Azteca e do futebol sul-americano, existem, possuem grande potencial, mas são pouco explorados. O esporte e as organizações esportivas fazem parte de contextos político-sócio-econômicos de uma sociedade e, associados à formação de uma identidade local, nada mais conveniente do que ganharem forma através de museus. Já dizia Marcel Mauss: ‘o futebol é um fato social total’.

Fisicamente ou não, cada apaixonado pelo esporte guarda um museu repleto de recordações. Essas recordações nos remetem a emoções positivas e dá mais magia ao ele, que se abastece de fatos dia a dia.

Veja como o Sport Lisboa e Benfica sabe bem utilizar a paixão de cada um dos seus adeptos e façam o quiz abaixo do video:

 

 

 

On Tours

Hoje, 30 de Julho de 2013, quantos eventos esportivos de caráter internacional estão acontecem ao mesmo tempo?

De imediato lembro-me do Mundial de Natação, em Barcelona. Domingo passado terminou a Copa Ouro de futebol (países da Confederação das Américas do Norte, Central e do Caribe). Há não muito tempo, os mundiais de base da FIFA e a NBA. Acontecem também as digressões das equipes europeias na Ásia. Em junho a Rússia recebeu o Mundial de Rugby Sevens, em julho a Universíade e em Agosto, o Mundial de Atletismo da IAAF.

Já existem agências especializadas em turismo esportivo, porém escassas e que promovem poucos serviços. Assim como o post de ontem tratou, o turismo esportivo é um vasto mercado e os eventos esportivos grandes opções de entretenimento em família e entre amigos.

Vasto Mercado

IMG_1462Que o esporte é gerador de emprego, renda e riqueza, muitos sabem. No Brasil e em boa parte do planeta, especialmente o futebol. Por isso, o universo do futebol também é. Dentro desse universo, uma gama de curiosos, apaixonados e saudosistas curtem uniformes de clubes e seleções do mundo todo, reúne colecionadores e, conforme a modalidade cresce, em paralelo com as comunicações e a indústria da moda, o passado se recheia de história e abastece essa indústria da memória esportiva.

Já estive em restaurantes temáticos de beisebol e futebol americano, rugby e futebol. Mas, todos eles, em trêsIMG_1463 esportes, com exceção do rugby, achei muito padronizados e funcionais. Perceptível que os artigos de decoração foram feitos sob encomenda, para se ajustarem a um ambiente. Ora, nesses casos, a paixão e o amor pelo esporte contam mais que a estética e o conforto visual. Quanto mais preenchido e ambientado o espaço, melhor. É a sensibilidade que se pede a espaços como este. Para podermos frequentá-los e vivermos experiências. Experiência de irmos a um restaurante temático. Experiências que cada foto, símbolo, cor ou frase nos fará lembrar.

Com isso tudo, são essas experiências que deixam o esporte mais mágico e constroem esse vasto mercado.

O Árbitro e o Rugby

De um árbitro:

“Treino Forte por que sempre quero progredir. Às vezes não basta fazê-lo de terça-feira e quinta-feira no clube, e por isso eu coloquei mais um dia. A chave sempre é treinar. O rugby é cada dia mais rapido e temos de estar constantemente em cima da jogada para que todos possam jogar e se divertir. Porque mesmo que tudo mude, o rugby é feito para passar bons momentos com os amigos. Em dias de jogos arrumo a mala com tempo, tentando não esquecer nada. Chego cedo ao vestiário e me troco em silêncio, tentando me concentrar. Há jogos e jogos. Alguns muito bons e outros nem tanto, mas eu sempre tento ajudar o jogo e melhorar. Após o jogo, eu gosto de relaxar alguns minutos no vestiário, assim chego melhor ao terceiro tempo, que é sem dúvida um desses  lugares que dão sentido a tudo isso”.

Árbitros jogam e sentem o Rugby.

Respeitando-os, respeitamos a nossa essência.

Fonte: União de Rugby de Buenos Aires – URBA / União de Rugby da Escócia



%d blogueiros gostam disto: