Archive Page 2

Podcast sobre Gestão do Esporte

Participo de mais um projeto que é o de um podcast sobre Gestão do Esporte, o “Em Jogo”, com os amigos Luís Kolle, Luiz Haas e Thiago Santos. Semanalmente lançamos um episódio que debate temas do universo da gestão e do marketing do esporte.

“Em Jogo” porque no esporte há bastante coisa em jogo, quer seja dentro dos campos, das quadras, matames, ringues, quer seja fora dele também. Justamente isso que vamos discutir, debater, refletir e, humildemente, gerar as inquietações que naturalmente possam surgir. Na realidade tudo isso começou no ano passado e a ideia foi retomada sob outro aspecto recentemente.

Eis o quarto episódio, acerca da formação em Gestão do Esporte.

Além de estarmos no soundcloud, o “Em Jogo” está no Spotify e na apple podcasts.

Obrigado!

Regras que mudaram os esportes

No episódio 12 do podcast “EsportePédia”, este blogueiro e Alê Ferrer comentaram em pouco menos de uma hora sobre algumas regras que transformaram o mundo dos esportes.

Por exemplo, antes não havia no basquete a cesta de três pontos e nem o ‘shotclock’, tempo para executar uma jogada. Há pouco mais de 20 anos no voleibol havia a lei da vantagem. No futebol, até os anos 1990, o goleiro podia agarrar com as mãos as bolas recuadas e, até a Copa do Mundo FIFA 1970, não existiam os cartões amarelo e vermelho.

Algumas curiosidades e muito mais neste bate-papo divertido. Confiram:

Episódio novo do podcast do “EsportePédia”

O autor deste site trabalha em um projeto chamado “EsportePédia”, e um dos seus produtos é um podcast. É realizado em conjunto com dois grandes amigos, o Chico Dudu e o Ale Ferrer.

Já temos mais de dez episódios em que contamos alguns casos sobre o envolvimento do esporte com a política e algumas curiosidades intrigantes. Por isso do nome: “EsportePédia”, espécie de “Enciclopédia do Esporte”.

No décimo primeiro episódio, eu e o Ale Ferrer contamos a curiosa história do porquê de as bases das traves da Copa do Mundo de futebol masculino de 1978, na Argentina, terem sido pintadas de preto, mostradas na foto abaixo:

Foi um sinal de protesto. Saibam mais sobre o tema no podcast do “EsportePédia”, disponível nas principais plataformas (Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts) ou então no link a seguir:

SuperCopa do Brasil 2020

No último fim-de-semana estive em Brasília para trabalhar na Apresentação do Esporte como locutor do “Estádio Nacional de Brasília – Mané Garrincha” na “SuperCopa do Brasil 2020”, entre o Clube de Regatas do Flamengo e o Club Athletico Paranaense, respectivamente o campeão da série A do Campeonato Brasileiro de 2019 contra o vencedor da Copa do Brasil da mesma temporada.

O jogo foi promovido pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Um trabalho diferente, rápido, bastante corrido e de grande concentração porque era apenas um jogo. Obrigado “SP2 Brazil” pela confiança e convite.

O rubro-negro carioca venceu por 3 a 0 para um público de 48.009 (quarenta e oito mil e nove) torcedores.

Arena Ice Brasil

Na Quarta-Feira (29/1) a convite da Confederação Brasileira de Desportos no Gelo (CBDG), estive na recém-inaugurada “Arena Ice Brasil”, em São Paulo, para falar aos praticantes e adeptos dos esportes no gelo sobre as novas mídias e a Gestão do Esporte.

A Arena Ice Brasil está localizada no Morumbi, em São Paulo, e é o primeiro empreendimento voltado aos esportes de gelo na América do Sul. Conta com três pistas de curling com tamanho oficial, pista de patinação e de hóquei no gelo, cafeterias, restaurante, lojas especializadas nas modalidades lá praticadas, coworking e serviços diversos.

Um empreendimento ousado, bastante interessante e que certamente dará certo.

Aliás, já deu: saiu do papel e tomou forma.

Em tempo, lembrei-me de uma frase que gosto de recordar:

“Só os que ousam, realizam. Só os que organizam são bem sucedidos.” (Anônimo)

Crédito da foto: CBDG (com Marcelo Unti/CBDG ao centro e Bruno Fontanelli/Font Sports à direita)

Lista de Desejos para 2020

É um cenário ainda distante e pode parecer utópico, mas é preciso ir em direção a ele

Em tempos de virada de ano reflete-se o que foi feito nos últimos 365 dias e é comum definir metas e ações para o próximo ciclo. Longe da falta de criatividade ou da urgência em escrever algo, é frequente lermos textos dos mais diversos temas que listam aquilo que se espera para o próximo ano. Por mais que o cenário seja utópico e o contexto, complexo, pontuar o que se quer não é vulgar e serve de norte para onde se quer chegar.

No cenário da gestão e, especificamente marketing esportivo dentro do futebol, eis uma breve lista do que se espera para 2020:

  1. Que a transparência nas ações das entidades de administração do esporte em nosso país seja prioridade;
  1. Que o marketing do futebol trabalhe de maneira incansável na luta contra a intolerância, o racismo e a xenofobia;
  1. Que exemplos de boa conduta e cidadania sejam comunicados, a fim de reforçar que o esporte é fonte inesgotável destes bons exemplos;
  1. Que as boas práticas de gestão sigam contribuindo com bons resultados dentro e fora de campo;
  1. Que as organizações esportivas saibam de maneira clara dos seus propósitos e trabalhem para eles de maneira profissional;
  1. Que o futebol seja ainda mais gerador de emprego, renda e riqueza;
  1. Que o produto “futebol do Brasil” seja valorizado, em respeito ao torcedor e ao atleta;
  1. Que o marketing do futebol seja um manancial de estudos acadêmicos, afinal a ciência conduz à inovação e inovação é condição sine qua non para o desenvolvimento;
  1. Que todos tenhamos paciência, porque os resultados não acontecem do dia para a noite;
  1. Que os projetos conduzam para os resultados e não o contrário;

Um ano 2020 repleto de conquistas e realizações!

Em tempo: texto publicado originalmente em coluna na “Universidade do Futebol”

Votos de Excelente 2020

Gestão do Esporte em Fortaleza/CE

No último fim-de-semana tive a honra de lecionar a disciplina de “Comunicação Estratégica no Esporte e Mídia” para a turma de pós-graduação em Gestão do Esporte da “Gestão Mix Sports Business”/Faculdade Vale do Jaguaribe, em Fortaleza/CE.

Foram diversos temas abordados, teoria e exemplos práticos para uma turma bastante especial. Agradeço o carinho e empenho de todos os alunos.

Copa Bullguer

No sábado dia 30 de Novembro fui o locutor e MC da “Copa Bullguer de Rugby Sevens”, competição universitária patrocinada pela reconhecida hamburgueria, com vários restaurantes na cidade de São Paulo e no interior.

O torneio aconteceu em uma das mais tradicionais praças esportivas do Brasil: o “estádio Dr. Oswaldo Teixeira Duarte” (do Canindé), que pertence à Associação Portuguesa de Desportos. Foi um dia bastante intenso com partidas nas categorias feminina e masculina, que começaram às 8h da manhã, debaixo de forte sol e alta umidade relativa.

No intervalo entre os jogos da parte da manhã e da tarde, um desafio de drops animou o público presente. Do lado de fora do estádio havia DJ e food-trucks. Dentro de campo os campeões foram: Poli Athena (feminino) e FMU (masculino).

No “terceiro tempo”, bastante comida e atrações musicais como Tropikillaz e Marcelo D2. Torneio e dia para romper paradigmas e fazer perceber que o Rugby tem totais condições de crescer ainda mais no Brasil.

Créditos das fotos: Bruno Ruas/Ruas Mídia

Handball Universitário

No último domingo (primeiro de Dezembro) trabalhei para a FotoJump, que presta serviços de mídia pela internet para o canal do NDU (Novo Desporto Universitário). Fui o narrador da parte da manhã dos jogos de handball transmitidos facebook desde o Esporte Clube Pinheiros, em São Paulo.

Foram três jogos: Medicina PUC Sorocaba x Comunicação Mackenzie (Feminino); FEA-USP x Engenharia Mackenzie (feminino) e FGV x Medicina São Camilo (masculino).

Foi uma grande experiência e valeu muito a pena!

Créditos da foto: Luiz Pires/FotoJump



%d blogueiros gostam disto: